Para além de uma grande maioria de paroquianos nexenses, muitos cristãos algarvios vieram de outras comunidades, com especial destaque para Lagos o­nde, em Santa Maria, aquele sacerdote exerceu também funções pastorais, viver em fraterna unidade eclesial, esta significativa efeméride.A Eucaristia foi presidida pelo Bispo do Algarve, Dom Manuel Neto Quintas, tendo concelebrado com o padre Júlio Tropa Mendes, o cónego Gilberto Santos e os padres Afonso e José Cunha Duarte e António José Coelho e actuado, com grande brilhantismo o Grupo Coral Paroquial.Presente o presidente da Câmara Municipal de Faro, José Vitorino.À homília Dom Manuel relacionou o verdadeiro sentido das Leituras com o propósito desta homenagem, apontando que «todo o louvor e toda a glória devem ser dirigidos a Deus, Criador do homem, como a mais excelente criatura» e «é humano reconhecer o que os outros nos fazem e, à luz da Fé, tal representa um motivo de glória a Deus».Após expressar «a muita alegria de, como Bispo desta Diocese, participar no reconhecimento hoje prestado na pessoa do padre Júlio, ao serviço que todos os sacerdotes prestam», referiu-se Dom Manuel às palavras do Papa João Paulo II e à sua envolvência neste novo Ano Pastoral sobre o binómio indissolúvel – Eucaristia / Sacerdócio.Parafraseando o texto evangélico «A medida que usardes para os outros, será também usada para vós», centrou-a nestes 35 anos de acção apostólico do pároco de Santa Bárbara de Nexe, a quem agradeceu o testemunho da sua fidelidade e de gratuidade permanente em prol dos outros. No final o homenageado, após recordar os que já abalaram para o Pai, ao longo destas três décadas e meia, agradeceu «a todos os que ao longo de 35 anos me têm acompanhado nesta comunidade e teve uma afectuosa recordação para o sr. Borba e outros lacobrigenses que então o acompanharam até Santa Bárbara de Nexe. Recordou as palavras proferidas pelo saudoso monsenhor Henrique, a quando da sua posse: «Deixo-vos um padre novo, ajudai-o e estimai-o» e afirmou: «O padre é aquele que é tirado do povo para servir o povo.Terminou, após lembrar as figuras dos Bispos Dom Júlio Tavares Rebimbas e D. Manuel Madureira Dias, por, dirigindo-se ao Bispo do Algarve renovar a sua total disponibilidade para prosseguir a missão confiada.Mais tarde num restaurante local decorreu um jantar de convívio, durante o qual vários oradores enalteceram a obra e a figura do padre Júlio, a quem foi entregue uma significativa lembrança e em que actuaram os artistas Nelson Conceição e José Praia.